terça-feira, 9 de setembro de 2008

Como montar um jardim de inverno

O período de frio e de estiagem pode parecer, à primeira vista, um momento pouco estimulante para plantar ou dar vida nova a jardins e canteiros. Mas é justamente no inverno que muitas flores ganham mais cor e destaque.

Pode ser uma boa hora para alegrar um espaço externo da casa ou o canto de um apartamento e fugir do cinza característico dessa estação. "Existe ainda uma idéia muito arraigada de que, no inverno, as folhas caem, mas há muitas plantas que florescem e árvores que dão frutos nessa época", afirma o paisagista Raul Cânovas.

Espécies como a azaléia, considerada flor típica do inverno paulistano, a camélia e o ipê, entre outras, são exemplos das que esperam o frio para mostrar sua melhor forma.

Polinizadores

"No inverno, as flores ficam mais vivazes porque a falta de chuva atrai os agentes polinizadores [como pássaros e abelhas], que auxiliam na reprodução", explica o engenheiro agrônomo Edson Valerio, professor de jardinagem do Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial).

As plantas nos vasos também duram mais nessa época. A orquídea Cymbidium hibridum é uma das mais longevas: se, no verão, resiste por 20 dias em um vaso, vive por dois meses no inverno.

A azaléia, que fica bonita por dez dias no verão, dura cerca de um mês no inverno, segundo Maria do Carmo Rodrigues Simon, 48, proprietária da Flor & Forma.

Folhas

As folhagens, por outro lado, tendem a sofrer com o frio e a falta de luz. A maioria dos arbustos e algumas árvores perdem folhas. O mais prejudicado é o gramado. "Deve-se arejar e cobrir o terreno em junho, senão a grama seca e só volta a ficar bonita em janeiro", ensina o arquiteto e paisagista Fabio Morozini, 32.

Segundo paisagistas, muitos acham, erroneamente, que o jardim está hibernando e não precisa ser regado. A quantidade de água deve diminuir, mas precisa continuar sendo fornecida com regularidade e nas primeiras horas do dia. Recomenda-se cortar a rega pela metade em folhagens e em dois terços para as flores.

Transplantes

Quem compra uma planta agora deve tomar cuidado na hora de colocá-la no jardim. "Não é a melhor época [para replantar], porque ela demora mais para se adaptar", adverte Fabiana Traldi, 25, paisagista e professora do Ibrap (Instituto Brasileiro de Paisagismo), que sugere irrigação diária por, pelo menos, um mês. E completa: "Devido ao processo de adaptação, pode ser que a espécie não dê flor no primeiro ano".

Para evitar ou amenizar esse efeito, Valerio recomenda deixar a planta no vaso por dois ou três dias, aclimatando-se no local em que será plantada e preparar o terreno com adubo orgânico e água.

Arbustos não costumam apresentar problemas, segundo Traldi. "Azaléia, calêndula, petúnia e amor-perfeito florescem rapidamente", exemplifica Cânovas.

Paisagistas em geral preferem flores de cores quentes -como amarelo e vermelho- para criar contraposição ao frio, mas Morozini é fã do branco. "Reforça a sensação de frio, como se fosse uma cobertura de neve", diz.


Autor: Bruna Martins Fontes

Um comentário:

Fátima Machado disse...

As informações que você passa aos seus leitores em relação a construção de um jardim de inverno,tenho algumas observações a fazer,baseadas em 30 anos de atividades na área de Paisagismo e Jardinagem.

- Calêndolas, Amor perfeito e Petúnias – sendo herbáceas, não são adquadas para Jardins de Inverno,haja vista que são plantas anuais,específica para canteiros a céu aberto,onde haja forte incidência solar;

- O profissional de paisagismo,não tem preferência por nenhuma espécie . Seus projetos,surgem de uma conversação prévia (entrevista), com o cliente, pelas suas escolhas –adaptando-as : Qualidade do solo; áreas de sombra e/ou sol pleno; posição do vento etc.

Fátima Machado,Pós graduada em Paisagismo Tropical Urbano - UNAMA - Belém - PA e Mestra em Gestão e Auditoria em Meio Ambiente